Quinta, 22 Maio 2014 12:30

Caso Malhães: Capi fala à Rádio Senado

A Comissão de Direitos Humanos no Senado responsabilizou o Estado na morte do coronel Malhães. Ouça aqui a entrevista do senador Capi, na manhã de quinta-feira (22/5), sobre o relatório que conclui que houve negligência quanto à proteção do coronel: http://bit.ly/1vMvrh1

 

Da Agência Senado:

Relatório aprovado na quarta-feira (21) pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), sobre diligência no Rio de Janeiro para acompanhar as investigações relacionadas à morte do coronel Paulo Malhães, aponta a responsabilidade do Estado brasileiro no caso. Para os senadores, houve negligência em relação à proteção do coronel.

Malhães, de 77 anos, morreu em 24 de abril durante um assalto no sítio onde morava, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Um mês antes, ele admitiu à Comissão Nacional da Verdade ter participado de torturas e ações para desaparecimento de presos políticos durante a ditadura militar, entre eles, do ex-deputado Rubens Paiva.

Em diligência realizada no dia 6 de maio, a presidente da comissão, senadora Ana Rita (PT-ES), e os senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e João Capiberibe (PSB-AP) conversaram com o caseiro Rogério Pires, que negou envolvimento no crime. Na versão da Polícia Civil, o caseiro confessou a participação no latrocínio (roubo seguido de morte), no sítio de Malhães.

De acordo com o relatório, não há elementos suficientes para afastar a hipótese de assassinato diretamente relacionado ao passado de torturador do militar e às suas revelações à Comissão da Verdade. Na análise do caso, Ana Rita afirma que a morte do coronel “lança medo e praticamente inviabiliza” revelações que poderiam vir a ser feitas por outros torturadores.

O texto aprovado faz oito recomendações, entre as quais proteção para a mulher da vítima, Cristina Malhães, e para Rogério Pires, preso pela Polícia Civil fluminense. A comissão também solicita cópia do inquérito policial, com o laudo pericial da causa da morte do coronel, ainda que mediante sigilo.

Os senadores questionam o foco da investigação da Polícia Civil estar em latrocínio, sem empenho na busca de possíveis relações do caso com o passado da vítima. Causa estranheza, por exemplo, segundo o relatório, o fato de a Polícia Militar ter chegado ao sítio de Malhães dez horas depois de ter sido acionada pela esposa do coronel.

Os parlamentares pedem a indicação de membros do Ministério Público para acompanhar o caso e afirmam que a CDH continuará seguindo as investigações.

bannerda tv

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2017

00000001

capi sustentavel

livro morte nas aguas

capi youtube
Sua ideia pode virar Projeto de Lei

Newsletter

  1. Twitter

Endereço

Ala Sen. Afonso Arinos - Gab. 08
CEP: 70.165-900 Brasília/DF
Telefone: (61)3303-9011
Fax: (61)3303-9019
Email:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.